A criolipólise é um tipo de tratamento estético realizado para eliminação da gordura. Essa técnica é baseada na intolerância das células de gordura a baixas temperaturas, rompendo-se quando estimuladas pelo equipamento. A criolipólise garante a eliminação de cerca de 44% da gordura localizada em apenas 1 sessão de tratamento.

Nesse tipo de tratamento é utilizado um equipamento que congela as células de gordura mas para que seja eficaz e seguro, o tratamento deve ser realizado com um aparelho certificado e com a manutenção em dia porque quando isso não é respeitado pode haver queimadura de 2º e 3º grau, sendo necessário tratamento médico.

Como é feito o tratamento

A criolipólise é um procedimento simples e que pode ser realizado em várias partes do corpo, como coxas, abdômen, tórax, quadril e braços, por exemplo. Para fazer a técnica, o profissional passa um gel protetor na pele e depois posiciona o equipamento na região a ser tratada. Assim, o aparelho irá sugar e resfriar essa área até cerca de -7 a -10ºC por 1 hora, que o tempo necessário para que haja congelamento das células de gordura. Após o congelamento, as células de gordura rompem-se e são eliminadas naturalmente pelo sistema linfático.

Após a criolipólise é indicado realizar uma sessão de massagem local para uniformizar a área tratada. Além disso, é recomendado que seja realizada pelo menos 1 sessão de drenagem linfática ou pressoterapia para facilitar a eliminação de gordura e agilizar os resultados.

Não é necessário associar nenhum outro tipo de procedimento estético ao protocolo da criolipólise pois não existem provas científicas de que sejam eficazes. Dessa forma, basta realizar a criolipólise e realizar drenagens regularmente para ter o resultado desejado.

A criolipólise dói?

A criolipólise pode causar dor no momento em que o aparelho suga a pele, dando a sensação de um beliscão forte, mas que logo depois passa devido à anestesia da pele causada pela baixa temperatura. Após a aplicação, a pele normalmente fica vermelha e inchada, e por isso, é indicado realizar uma massagem local para aliviar o desconforto e melhorar a aparência. A região tratada pode ficar dolorida durante as primeiras horas, mas isto não causa grande desconforto.

Quem não pode fazer a criolipólise

A criolipólise está contraindicada para pessoas com excesso de peso, obesidade, hérnia no local a ser tratado e problemas em relação ao frio como urticária ou crioglobulinemia, que é uma doença relacionada ao frio. Também não é recomendada para mulheres grávidas ou com alterações na sensibilidade da pele devido a diabetes.

Quais os riscos

Assim como qualquer outro procedimento estético, a criolipólise tem seus riscos, principalmente quando o aparelho está desregulado ou quando é utilizado de forma inadequada, o que pode resultar em queimaduras graves que necessitam avaliação médica. Esse tipo de complicação da criolipólise é rara, mas pode acontecer e ser facilmente contornada.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *